Homeless Monalisa

João Fonte Santa

A mais famosa pintura de Leonardo da Vinci deverá certamente muito da sua fama à simplicidade de um retrato com paisagem ao fundo. Sendo a mais famosa obra de arte de sempre, assume, pela própria forma, a condição de uma espécie de fotografia de cartão de identidade da arte. Sorriso que insistimos em continuar a considerar enigmático, porque queremos que esta obra permaneça como lugar de todas as especulações, ao ponto de não nos importarmos nada com o facto de, há muito, sabermos a identidade daquela figura.  Da perspectiva da relação entre o indivíduo e o espaço, no âmbito conceptual que a própria ideia de uma homeless Mona Lisa suscita, partem os textos que aqui são publicados. Nos que dizem respeito a obras de arte, cada texto só trata uma obra na exploração da sua ressonância conceptual. Possivelmente ajudando a cumprir a complexidade perceptiva que cada obra procura quando é criada, extensão da experiência estética ou encontrando formas de traduzir os seus mecanismos. 

No contexto da Linha de Investigação “Arte e Prática Conceptual”, esta revista é editada pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, resultando também da colaboração com o Departamento de Arquitectura da FCTUC,  o Círculo de Artes Plásticas de Coimbra e o Núcleo Cidades Cultura e Arquitectura do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, (fazendo renascer a revista criada pelo núcleo Artes Plásticas e Arquitectura do Centro de Estudos de Arquitectura da UC em 2003) e é coordenada por António Olaio e Pedro Pousada.

 

ISSN   2183-4903